A Eucaristia é ou Significa?

0

Caros irmãos amigos e devotos de São Judas Tadeu paz e alegria a todos. Mais um exemplar do nosso jornal acaba de sair e com alegria vamos neste mês falar de algo tão importante tão antigo tão sublime que a igreja não sobrevive sem ela; estamos falando da Eucaristia. Meses atrás surgira um fato que não sabemos se é verdade ou não, mas que criou uma forte discussão sobre o fato e a realidade da Eucaristia. Todo cristão deve conhecer e saber o que é a eucaristia, não digo deve saber aliás tem obrigação de conhecer a verdade da sua Igreja que vive da Eucaristia. Assim nesta edição relembraremos algo que já sabemos, mas que as vezes passa desapercebido, assim convido a você a mergulhar neste cantinho de leitura e redescobrir o tesouro que a Igreja Católica zela, ama e vive por ela.
A eucaristia é o centro, o cume, o ápice da vida da Igreja. A ela se ordenam todos os sacramentos e ministérios da Igreja.
O batismo é a porta que nos introduz na vida da Igreja, que nos leva a fazer parte do Corpo de Cristo, filhos de Deus e templos do Espírito Santo. O batismo nos dá a vida de Deus, a graça de Deus.
A eucaristia é a doação total de Deus ao homem. Na eucaristia, recebemos não só a graça, mas o próprio doador da graça: Jesus Cristo, segunda pessoa da Santíssima Trindade.
A eucaristia é algo tão espetacular, violento, improvável, estranho, -diria até: difícil de se aceitar – que Deus fez uma longa e cuidadosa preparação do povo, antes de se deixar entre nós neste mistério da eucaristia.
PREPARAÇÃO  REMOTA
O Cordeiro Pascal – Ex 12, 1 – 14
O Maná: Ex  16, 2 – 5
As Bodas de Caná: Jo 2, 1 – 12

PREPARAÇÃO  PRÓXIMA

Jesus anuncia a eucaristia um ano antes da Última  Ceia:  Jo 6.
E para preparar o povo para o anúncio da eucaristia Jesus faz três milagres mostrando que Ele não era uma pessoa qualquer e tinha poderes divinos:

– a multiplicação dos pães: Jo 6, 1 – 15;
– Jesus caminha sobre as águas: Jo 6, 16 – 20;
– o barco chega, imediatamente,  à outra margem: Jo 6,21.

Quando os discípulos ouviram Jesus falar da Eucaristia:
“Eu sou o pão vivo que desce do Céu”;  Jo 6, 51
“E como o Pai, que é vivo, me enviou e eu vivo pelo Pai, assim aquele que comer de mim viverá por mim”; Jo 6, 57

A sinagoga de Cafarnaum se esvaziou: os Seus discípulos o abandonaram. Jesus disse, então, aos doze: – “E vós, não tendes intenção de partir? ” Jo 6, 67

Jesus já estava ao final de dois anos de Sua pregação. Ele preferiu começar tudo de novo, com outros discípulos, com outros apóstolos, a abrir mão do mistério da Eucaristia.

PREPARAÇÃO IMEDIATA

Jesus manda os apóstolos prepara o lugar da Ceia: Lc 22, 7 – 15;
Jesus lava os pés dos apóstolos: Jo 13, 1 – 20

A Eucaristia é o primeiro, o último, o grande desejo de Cristo: “Desejo, ardentemente, comer esta Páscoa convosco antes de padecer”. Lc 22, 15

A Eucaristia é o legado de Cristo: o que Ele nos deixa, antes de voltar ao  Pai!

A  EUCARISTIA  É  UM  MEMORIAL

“Fazei isto em memória de mim”. Lc 22, 19   e   1 Cor 11, 24

No Antigo Testamento os símbolos, os ritos, as festas, embora com referências à natureza e aos momentos da vida social, tornam-se sinais de aliança, memória e atualização das obras admiráveis feitas por Deus na história, a favor de Seu povo.

De modo especial a Páscoa hebraica era a recordação, de modo participativo, da libertação da escravidão no Egito. Deus faz pelos participantes do rito Pascal, o que havia feito por seus pais no Egito.

O memorial comunica a graça do acontecimento recordado. Na forma de convite sacrifical, a Igreja revive o acontecimento total da Páscoa; realiza a memória da morte e ressurreição do Senhor, uma memória que não é apenas lembrança, mas uma reapresentação real do próprio acontecimento, no rito litúrgico.

A oferenda sacrifical é um ato de culto – social, em grupo de pessoas. Não se pode oferecer em particular, em nome próprio. Mas um, pelo grupo, o sacerdote, oferece ao Pai o nosso Dom Jesus Cristo. Mesmo quando um padre rezasse sua missa sozinho, sem acompanhantes, ele estaria rezando em nome de um grupo de pessoas (sua comunidade) e não em nome próprio.

Na missa, Cristo é o sacerdote. Cristo é o nosso Dom, Ele é, também, a vítima. Quando um padre dá a bênção ao povo, ao final da missa. É Jesus Cristo que abençoa o povo na pessoa do Padre. É Jesus, que na pessoa do sacerdote, oferece ao Pai Jesus presente na hóstia e vinho consagrados. É um mistério, mas aceitamos esse mistério em nossa vivência de fé.

Cada missa é o prolongamento do calvário; é a continuação da morte de Jesus, é um sacrifício, é um dom eterno.

Na missa Jesus nos congrega, nos reúne em torno Dele. Para participar bem da missa eu devo me transformar em dom, em vítima e com Jesus, entregar-me, no altar, ao Pai: – “Toma-me Senhor, e dá-me a generosidade de querer ser teu, sem condições.

O momento central da missa está na consagração. É o momento em que Jesus desce ao altar. É o momento de você se oferecer, com Cristo que morre na cruz. Não é momento de oração de louvor e adoração a Cristo. Todas as orações da missa são dirigidas ao Pai, não a Cristo!

A EUCARISTIA É UM SACRAMENTO

Sacramento é sinônimo de Mistério! “Eis o mistério da fé! ”

Sacramento é um sinal sensível e eficaz da Graça. Todo sacramento significa uma graça e realiza a graça que significa.

O Deus que eu não vejo, atua no meu espírito que eu não vejo, me dá uma graça que eu não vejo, através de sinais que eu posso ver!

O pão e o vinho são alimentos que posso ver, sentir, cheirar, tocar, saborear. Neles estão presentes, após a consagração, o corpo e o sangue de Cristo, vivo e verdadeiro. Ao comer o pão consagrado, ao beber o vinho consagrado eu estou comendo e bebendo o corpo e o sangue de Jesus Cristo!

A EUCARISTIA É UM BANQUETE

Quando você quer honrar uma pessoa você a convida para uma refeição em sua casa. Na refeição você sela, reforça, aumenta a amizade com aquela pessoa. A refeição une e estreita as nossas amizades.

Quando devo ir à Missa?

A Igreja manda que participemos da Santa Missa, ao menos aos domingos, celebrando a morte e a ressurreição do Senhor Jesus. Há pessoas que gostam de ir à missa aos sábados.  O sábado, após o meio dia faz parte da liturgia do domingo. Ir à missa aos sábados à tarde ou à noite, é como se fosse ir aos domingos. Erram, de certa maneira, aquelas que indo aos sábados, falam assim:  “- Eu gosto de ir à missa aos sábados, pois desta maneira já fico livre! ”  Imaginem um namorado que falasse: “-Eu gosto de beijar a minha namorada aos sábados, pois assim já fico livre para o resto da semana! “Nesse tipo de missa ou beijo não há amor!…

O bom seria não ficar só na missa aos domingos e ir sempre que puder, ao menos mais uma ou duas vezes por semana. Espero que depois desta reflexão o nosso coração se abra mais e cada mais a realidade da Eucaristia diante te nossas vidas. Uma grande bênção a todos! Graças e louvores sejam dadas a todo momento: ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento!

Pe. Welson Nogueira – Pároco e Reitor

Categories: Em Pauta

Leave A Reply