O QUE É UM SANTUÁRIO? E QUAL O SEU SENTIDO?

0

Caros amigos devotos, paroquianos e todo povo de Deus; que a graça de Deus esteja com todos. Com alegria vos falo, nesta edição iremos conhecer o que é um santuário e qual sua função.

No presente mês o nosso altar, bem como nossa igreja comemora 20 anos de sua dedicação, isto é, dia que fora ungida e consagrada pelo saudoso bispo Dom Luís Gonzaga. Agora vamos entender o que é um santuário.

A palavra  santuário vem do Latim (sanctuarium, de sanctus), no conceito religioso, é um local sagrado, para onde, por devoção, acorrem peregrinos de diversas regiões.

De modo geral, os santuários do Antigo Testamento foram erguidos quase sempre em lugares altos, ligados a alguma manifestação divina, como no Monte Horebe. A tenda da Arca da Aliança era um Santuário nômade.

Após o povo hebreu sair do Egito, e se aventurar pelo deserto, atravessar o mar e receber a Lei em duas Tábuas de Pedra, a seguinte ordem foi dada por Deus: “E me farão um santuário para que possa habitar no meio deles” (Êxodo 25:8). Moisés coordenou a construção do santuário seguindo instruções específicas de Deus: “Vê, pois, que tudo faças segundo o modelo que te foi mostrado no monte” (Êxodo 25:40).

Este santuário possuía dois compartimentos. O primeiro chamava-se o “Santo Lugar”. Nele encontrava-se o “candeeiro, a mesa e a exposição dos pães”. O segundo compartimento chamava-se “Santo dos Santos” (Hebreus 9:1-4), o qual pertencia um altar de ouro para o incenso (representando as orações de todos os santos segundo Apocalipse 8:3). Também havia a Arca da Aliança, com uma tampa que se chama Propiciatório (que representa o trono de Deus segundo Êxodo 25:21.

Continuamente os sacerdotes entravam no “Lugar Santo” para ministrar os serviços sagrados. Mas no segundo compartimento, no “Santo dos Santos”, somente o sumo-sacerdote entrava uma vez por ano.

Diariamente, faziam-se sacrifício, um cordeiro era oferecido pela manhã e outro, ao pôr do sol. Uma vez por ano, era realizado uma cerimônia chamada “Dia da Expiação”, conhecida pelos judeus como “Dia do Perdão” e ocorria no décimo dia do mês sétimo.

Era feita uma santa convocação e todos afligiam-se a alma, pois o sumo-sacerdote fazia expiação pelos pecados do povo.

O autor de Hebreus afirma a existência de um santuário celestial, perfeito, não feito por mãos humanas, mas erigido pelo próprio Deus. Apresenta, também, Jesus Cristo, como ministro ou sumo-sacerdote do verdadeiro tabernáculo. Hebreus 8:1-3 e 9:11. “Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer por nós, diante de Deus”. Hebreus 10:24.

Os templos católicos subdividem-se em subcategorias distintas e, conforme as suas características e peculiaridades, podemos determinar a categoria em que cada um deles está enquadrado, conforme veremos a seguir:

Paróquia: é a divisão territorial ou pessoal de uma Diocese. É a comunidade de fiéis que se reúne sob a responsabilidade de um pároco, um sacerdote, cujo trabalho pastoral lhe é confiado pelo bispo de uma diocese e que ali exerce sob sua autoridade de pastor as instruções episcopais da sua jurisdição eclesiástica. Pode ser pessoal, agregando preferencialmente pessoas ligadas a alguma cultura, língua específica, etc., ou territorial, agregando as pessoas mais fisicamente próximas ao templo.

Igreja: é o templo católico mais comum, e que se caracteriza por ser de acesso público: todos podem nele ingressar. Pode ser sede de uma paróquia ou não. Assim, em uma paróquia podem existir várias igrejas.

Oratório: é o templo católico que se caracteriza pelo acesso restrito dos fiéis, pois é ligada, geralmente, a um colégio, um hospital, um instituto de vida consagrada ou sociedade de vida apostólica. É erigido em favor de uma determinada comunidade ou grupo (as pessoas dos tais colégio, hospital, etc.), sendo que os demais fiéis só podem ser admitidos nele com o consentimento do superior. Na linguagem popular, chama-se de capela, o que, na verdade é outra coisa.

Catedral: é a igreja principal da Diocese. Significa “sede do bispo” (sé) e sua origem vem da palavra cátedra, cadeira, que é o símbolo da missão de ensino e de governo do pastor da diocese, o senhor bispo. É dela que ecoa a palavra do episcopado. É o centro da vida diocesana. Graças a esse status que encontraremos na Catedral de uma diocese as principais festas litúrgicas sob a presidência do bispo pela sua cátedra.

Basílica: é um título concedido pelo Vaticano a algumas igrejas que se destacam pela sua importância em antiguidade, por serem centros de peregrinação, por possuírem alguma relíquia de um ou mais santos, por possuir grande influência na vida espiritual de uma jurisdição eclesiástica, etc. O nome basílica provém aproximadamente do séc. IV d.C. como uma apropriação de edifícios públicos romanos para realização dos serviços de culto cristão. Normalmente tem um grande porte que ressalta suas qualidades de centro espiritual.

Santuário: é um lugar sagrado, que possui acentuada característica de piedade e que se torna para a vida da comunidade uma fonte de peregrinação e de santificação. Pode possuir uma relíquia de algum santo, pode ser consagrado à alguma devoção particular da fé católica, etc. Normalmente é objeto de grande apreço para os fiéis devotos que dele fazem um local de constante meio de santificação através do uso constante dos sacramentos. Sob responsabilidade do santuário designa-se um padre que possui o título de Pároco e Reitor podendo ter ou não outros padres auxiliares chamado de vigário.

Na igreja Católica, é considerado um Santuário a Igreja frequentada por fiéis vindos de outras regiões atraídos por algo que existe especificamente naquele Templo.

Por exemplo no Brasil, em Aparecida (São Paulo), temos o Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Este é o maior e mais visitado Santuário brasileiro e maior santuário do mundo de devoção a Maria. O Santuário recebe visitas de romeiros de todo o Mundo, o motivo são os vários milagres concedidos por Deus, pela intercessão de Maria a seus devotos naquele lugar. Entre eles está o que deu origem a primeira Igreja do local: o encontro da imagem da Santa de cor negra, que está disposta no interior do Santuário.

Existem vários Santuários no Brasil dedicados a diversos santos. Na nossa cidade encontramos o maior Santuário de Guarulhos, o Santuário São Judas Tadeu, no bairro Torres Tibagi.

No dia 28 de cada mês, muitos devotos passam pelo Santuário. E no dia 28 de outubro, festa do padroeiro, cerca de 6 mil pessoas visitam nosso Santuário para agradecer e pedir a intercessão de São Judas Tadeu.

Que possamos experimentar de Deus as dádivas e bênçãos concedidas através do nosso Santuário morada de Cristo e de São Judas Tadeu. Copiosas bênçãos sejam derramadas em seus corações hoje e sempre.

Desejo a todas as mães paroquianas e devotas um feliz e abençoado dia das mães; sejam agraciadas de copiosas bênçãos graça, saúde e paz. Um santo beijo no coração de todas.

 

São Judas Tadeu, rogai por nós!

Deus Abençoe!

Pe. Welson O. Nogueira – Pároco e reitor

Categories: Em Pauta

Leave A Reply