Pastoral dos Coroinhas e Acólitos

0

Quando Jesus fundou a Igreja, Ele instituiu diversos ministérios/serviços para a comunidade. Na Igreja, todos recebem uma vocação, um chamado. Alguns são chamados a servir como coroinhas!

Essas crianças e adolescentes, meninos ou meninas, realizam na sua vida a experiência do discipulado e do servir a comunidade, de modo especial nas celebrações eucarísticas, doando seu tempo em testemunhar Jesus Cristo e viver com Ele na intimidade do “servir ao altar”, iniciando logo cedo sua caminhada de Igreja, ao encontro do Senhor.

No serviço, o coroinha tem a oportunidade de participar do Mistério Pascal de Cristo, não somente auxiliar o padre e transportar objetos litúrgicos, mas de contemplar o Cristo ressuscitado, celebrando a Eucaristia!

Deve-se buscar sempre a alegria e a disposição, o contato fraterno e amigo, o respeito e dedicação às coisas sagradas, pois quando realizam o serviço do altar com alegria e entusiasmo, dão testemunho da importância e da beleza da Eucaristia para os irmãos de comunidade.

Para ser coroinha é preciso conhecer: a santa missa e suas partes; os lugares que compõem a igreja; os livros sagrados; os objetos litúrgicos ou também conhecidos como alfaias, assim como as cores e as vestes litúrgicas.

São Tarcísio é padroeiro dos coroinhas e sua história é datada em torno do ano de 258.Tarcísio era coroinha e acompanhava o Papa Sisto II na missa. Nessa época, celebrava-se a Eucaristia nas catacumbas, devido à perseguição do imperador romano, Valeriano. Quando os cristãos eram lançados às prisões, e quase sempre mortos depois, costumava-se levar-lhes a comunhão às escondidas, para que não desanimassem e nem perdessem a fé. Quem fazia isso eram os diáconos. Um dia, às vésperas do martírio de um grande grupo de cristãos, o Papa Sisto II não sabia a quem mandar para levar a comunhão na prisão, pois seus diáconos também estavam presos. Foi então que Tarcísio, com apenas 12 anos, se ofereceu.

Todos diziam que poderia ser morto, mas ele argumentou que ninguém desconfiaria de uma criança. Afirmou ainda que preferiria morrer a entregar a Eucaristia aos pagãos romanos.Diante disso, foi aceito. Passando por uma estrada chamada Via Ápia, alguns rapazes perceberam o modo cauteloso como Tarcísio segurava algo sob a roupa. Tentaram saber o que era. Como ele recusou a mostrar-lhes, apedrejaram-no até a morte. Quando foram procurar o que Tarcísio levava, as hóstias haviam sumido misteriosamente. Um soldado cristão viu Tarcísio caído e o levou às catacumbas, onde foi sepultado. Desde o início, Tarcísio foi venerado como exemplo de santidade.

“Assim como os anjos servindo a Cristo no céu, são os coroinhas servindo Jesus no altar! ”Venha fazer parte dessa família também, ainda este ano teremos formação! Fique atento!

Jesus me chamou, coroinha sou!

Giane Chain – Coordenadora

Categories: Pastorais

Leave A Reply